Breve Histórico da Sociedade Psicanalítica do Rio de Janeiro

Rescrito por: Ronaldo Victer em outubro de 2017
Revisado por: Vera Lucia Costa de Paula Antunes

Em 1955, durante o 19o Congresso Internacional de Psicanálise em Genebra (Suíça), o Centro de Estudos Psicanalíticos do Rio de Janeiro é aceito como Sociedade Componente da Associação Internacional de Psicanálise, com o nome de SOCIEDADE PSICANALÍTICA DO RIO DE JANEIRO. A ata de fundação da SOCIEDADE PSICANALÍTICA DO RIO DE JANEIRO foi datada em 29 de setembro de 1955 (data comemorativa) constando os seguintes membros fundadores: Diretoria: Presidente de Honra − Dr. Werner Walter Kemper; Presidente – Dr. Fábio Leite Lobo; Secretário – Dr. Gerson Borsoi; Tesoureiro – Dr. Luiz Guimarães Dahlheim.

Membros Efetivos: Anna Katrin Kemper, Fábio Leite Lobo, Gerson Borsoi, Inaura Carneiro Leão Vetter, Luiz Guimarães Dahlheim, Noemy da Silveira Rudolfer e Werner Walter Kemper. Membros Associados: Celestino de Maria Prunes, João Marafelli Filho, Zenaira Aranha e Inês Besouchet.

Importante ressaltar o interesse pela Psicanálise despertado nos intelectuais da ex-Capital doBrasil, entre as décadas 1950/60, que teve a produção editorial da tradução direta dos textos

originais de Freud, do alemão para o português, as Obras Completas de Freud, pela Editora Delta (Rio de Janeiro). Hoje, são relíquias de Bibliotecas, altamente valorizados pelos estudiosos da Obra de Freud de língua portuguesa, e são encontrados na BIBLIOTECA WERNER W. KEMPER da SPRJ. Biblioteca que possui um dos maiores acervos especializados em

Psicanálise do território brasileiro. Dispondo de todas as principais revistas internacionais, obras dos autores brasileiros e estrangeiros, além, de guardar documentos da memória institucional e da história do movimento psicanalítico do Rio de Janeiro.

A SPRJ, em 1957, criou o Setor de Assistência Psicológica (SAP) algo significativo por sua dimensão clínico-assistencial num trabalho de abrangência social. A sua primeira organização ficou a cargo dos Drs. Werner Kemper, Leão Cabernite, Lysanias Marcelino da Silva e Sara Furquim. A inauguração, contou com a presença do, então, Ministro da Saúde Dr. Maurício de Medeiros, de quem se sabia ser entusiasta da psicoterapia, por ter feito em seu livro, Psicoterapia e suas modalidades, uma classificação de psicoterapia. O Ministro defendeu a fundação de uma Sociedade Brasileira de Psicoterapia que conciliasse todas as modalidades de psicoterapias.

A SPRJ patrocinou a implantação de Núcleos Psicanalíticos que se transformaram em sociedadesComponentes da IPA: em Porto Alegre: Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre; em Recife, junto com a SBPRJ: Sociedade Psicanalítica do Recife. Em Campo Grande: Sociedade Psicanalítica de Mato Grosso do Sul; em Belo Horizonte: Sociedade Brasileira de Psicanálise de Minas Gerais. E, sobretudo, a formação psicanalítica através do seu próprio Instituto de Ensino da Psicanálise (IEP − SPRJ) que conta, até a presente data (2017), com 44 turmas de candidatos.

No ano de 1983, dentro da estrutura societária da SPRJ, houve afluência de alguns psicanalistas, no sentido de formar um Fórum de Debates, objetivando a temática da Ética. Este evoluiu como Grupo Pro-Ética desmembrando-se, em março de 2002, em Sociedade Provisória Interina da IPA, a Associação Psicanalítica do Estado do Rio de Janeiro. Posteriormente, no ano de 2005, foi reconhecida como Sociedade Componente da IPA − APERJ – Rio 4.

A partir de 2010, algo singular aconteceu no contexto institucional psicanalítico internacional. Através de diálogos preliminares entre psicanalistas da SPRJ e da Associação Psicanalítica Rio 3 (APRIO 3), deu-se a fusão das duas Sociedades Psicanalíticas. Na Assembleia Geral da SPRJ, de 13 de julho de 2011, psicanalistas e candidatos da ex-Associação Psicanalítica Rio 3 passaram a ser Membros da SPRJ, guardando suas qualificações da época.

  • Rua Fernandes Guimarães, 92 - Botafogo - RJ
  • (21) 2543-4998 / 2295-3573
  • sprj@sprj.org.br
  • Proximo ao metrô de Botafogo